O MERCADO

Desafio dos Vagões

Corrida entre vagões

A prova é estreante em Teresópolis e já está dando o que falar. Um “trail run” (como está na moda), ou seja, a corrida por ruas de terra e trilhas unindo restaurantes-trens, que são símbolos da região. Um restaurante em um vagão em Teresópolis (em frente à Casa de Portugal) e o outro no terceiro distrito de Petrópolis, mais precisamente a localidade de Itaipava. Entre eles, muita subida e decida com terreno irregular, passando por estradas de terra e trilhas que prometem fazer o I Desafio dos Vagões, uma prova de respeito, para entrar no calendário esportivo do Estado do Rio de Janeiro, incentivando o turismo e o esporte, já que a integração natureza/atleta promete ser o grande “barato” desta corrida que acontece no dia 24 de julho, com saída às 7h do vagão teresopolitano.

Um mês depois da localidade de Itaipava ter sido palco de uma grande corrida, a XC Run, na mesma modalidade trail, os empresários Gustavo Alves e Marcelo Guarilha, junto de Leonardo Pellógia, lançam o Desafio dos Vagões, uma prova que, apesar de ser bastante seleta, promete ter espaço para os corredores de final de semana e também para os atletas já experientes que vem participando de corridas deste “naipe”.

Trilhas, ruas de chão e tudo mais, estão no cardápio dessa prova que une dois restaurantes que utilizam as composições das estradas de ferro como tema. “Esta prova já está fazendo muito sucesso, justamente por que nós dividimos ela em três categorias, já que a distância é longa. São quarenta quilômetros e por isso temos a categoria solo, que o atleta corre sozinho, a dupla e a quarteto”, explica Gustavo ao mostrar o vagão daqui de Teresópolis, onde será dada a largada da corrida.

Integração da natureza com os atletas

A natureza desta região se destaca. Rica em vegetação, montanhas… O visual privilegiado atrai o turista e os atletas tanto quanto o chamado “ecoturista” e, além disso, as cidades de Teresópolis e Petrópolis são consideradas ideais para a prática da corrida. Esta conjunção de fatores reflete na planilha de inscrições, com quase todas as vagas já preenchidas antes do encerramento do prazo. “A beleza natural do percurso é muito grande e isso atraiu muita gente de fora para vir conhecer esta prova. Por isso, restam pouco mais de trinta vagas para o Desafio dos Vagões”, afirma Gustavo Alves, que lembrou sobre os hotéis e restaurantes teresopolitanos que se beneficiarão desta prova. “As pessoas estão escolhendo correr na natureza, por trilhas e estradas de terra e não na cidade”, conta o dentista, que corre por paixão e se orgulha do sucesso do desafio. “Não poderia ser diferente. As pessoas estão saindo dos grandes centros, como eram as provas há bem pouco tempo, em ruas, estradas, no meio da poluição, para corridas como nossa, que é a natureza pura em contato com a gente. Será inesquecível”, completa Gustavo, confiante em uma boa corrida no dia 24.

No dia 23, os kits da prova serão entregues no Hotel Intercity, no centro da cidade, onde acontecerá o simpósio técnico. “A gente vai estar recebendo todos os atletas no hotel para explicar detalhadamente como será a prova”, conta o professor de educação física Marcelo Guarilha, que também está a frente da organização e que convida a todos a participarem desta grande festa do esporte que acontecerá na nossa cidade. “A gente está aí com essas ultimas trinta vagas, então vale a pena correr para a internet e se inscrever no site www.desafiodosvagoes.com.br”, completa confiante o empresário.

As cidades e os trens O “Desafio dos Vagões” não é apenas um tema qualquer para se correr em trilhas. Afinal, os dois municípios, Teresópolis e – principalmente – Petrópolis tem uma grande intimidade com o transporte sobre trilhos. Já que a Estrada de Ferro Barão de Mauá, em direção ao município de Petrópolis é considerada a primeira do Brasil, onde viajou a Família Imperial, bem como toda a nobreza. As pessoas importantes da capital que subiam para a cidade serrana, como se fosse um bairro nobre do Rio de Janeiro no século retrasado. A estrada data de 1854. Em Teresópolis não era diferente em sua relevância e as composições que subiam a serra do lado do Dedo de Deus era a única forma de acesso a nossa cidade antes da estrada de rodagem e estão estampadas em diversos temas do município, gravadas em sua história como fundamentais para o seu desenvolvimento. Uma corrida entre um vagão e outro, contextualiza e mantém as “máquinas em movimento”, além da história viva.

Fonte: NetDiário

Search

Mais Lido

    ubm white

     

     

    Newsletter

    entrada invalida
    entrada invalida
    entrada invalida
    e-mail invalido
    Entrada Inválida
    Entrada Inválida
    Entrada Inválida